O Princípio do Céu e da Terra

chen-yin-yang1.jpg(…) “Uma viga ou um pilar podem ser utilizados para derrubar a muralha de uma cidade, porém não servem para tapar um buraco pequeno – isto está relacionado com uma diferença de função. Puro-sangues, como Ch’i-chi e Hua-liu galopam mil li num dia, mas quando se trata de apanhar ratos, não estavam à altura de um gato do mato ou de uma doninha – isto está relacionado com uma diferença de habilidade. A coruja cornuda cata pulgas à noite e é capaz de enxergar a extremidade de um cabelo; ao surgir, porém, a luz do dia, por muito que arregale os olhos, não enxerga um outeiro ou uma colina – isto está relacionado com uma diferença de natureza. Dizes agora que farás do Certo o teu mestre e que abandonarás o Errado, ou que farás da Ordem o teu mestre e abandonarás a Desordem? Se o fizeres, não terás compreendido o princípio do Céu e da Terra, nem a natureza das dez mil coisas. Isso é como se dissesses que farás do Céu o teu mestre e abandonarás a Terra, ou que farás do Yin o teu mestre e abandonarás o Yang. Obviamente, isso é impossível. Se os homens persistirem em falar desse modo sem parar, é que devem ser tolos ou simuladores.” (…)

Chuang Tzu, Enchentes de Outono (trecho 17),

 in Escritos Básicos, Ed. Cultrix

Anúncios

Uma ideia sobre “O Princípio do Céu e da Terra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s