I Ching Clássico

Mandala do I Ching, thetaobums.com

Mandala do I Ching, thetaobums.com

O Tratado divinatório do I Ching é o método de pensamento considerado, no mundo chinês, o fundamento de todos os conhecimentos. O Destino, o autoconhecimento, a cosmovisão, a metafísica e a iluminação são alguns dos temas do I Ching. Porém o eixo do I Ching – e que constitui sua própria essência – é o Oráculo, que permite acessar essa sabedoria milenar.

O Yì Jing (I Ching), ou Livro das Mutações, é um tratado cujos textos sagrados orientam-se para a razão do Universo e é um dos mais importantes livros na cultura chinesa. Oferece um complexo e meticuloso manual para a compreensão do constante fluxo energético que continuamente cria e altera o mundo em que vivemos. Oráculo e obra filosófica, o I Ching foi revelado como meio de aprimoramento para o ser humano viver de forma equilibrada, harmônica e em maior sintonia com o seu próprio Destino.

O Yì Jing (I Ching) foi uma das mais longas obras escrita em todos os tempos. Teve início em 5.577 a.C. e foi até 479 a.C., redigida por quatro grandes sábios chineses:

Fu Xi (O Senhor do Grande Céu): estudou o céu, a terra e os organismos do seres vivos e criou os primeiros símbolos do Yì Jing (I Ching) – o Tai Chi (Yin – Yang), os oito trigramas e 64 hexagramas.

Rei Wen : Fundador da Dinastia Chou (1.121 – 256 a.C.). Autor dos 64 “Julgamentos” dos hexagramas — os comentários sobre cada hexagrama.

Duque de Chou : Filho do Rei Wen. Escreveu os “julgamentos das linhas”, que determinam os significados das 384 linhas em cada hexagrama.

Confúcio (Kuon Fu Tzé ou Kuon Tzé) : Viveu entre 551 – 479 a.C. Um dos maiores filósofos chineses de todos os tempos. Escreveu sete obras sobre o I Ching num total de dez volumes, chamados de “Dez Asas”.

O livro examina os 64 hexagramas (de seis linhas) compostos a partir das combinações dos oito trigramas que representam os estados essenciais da natureza e do universo. No julgamento de cada hexagrama e na análise das linhas são especificadas as situações de interação entre a polaridade Yin e o Yang – recolhimento e expansão – que produzem os fenômenos mutáveis que vivemos, indicando que todas as coisas quando chegam ao seu limite máximo transformam-se no oposto.

O Yì Jing (I Ching) é um conjunto de estudos: inclui grande quantidade de conhecimentos nas áreas astronômica, astrológica, cosmologia, ambiental, matemática, métodos de consulta, análise do Céu, estudos dos fenômenos, etc. Yì Jing (I Ching) é uma tradição, um ensinamento. É como se existisse a matemática e um livro chamado “A Matemática”. O livro e a matemática em si não podem ser confundidos. O livro faz parte do universo da matemática, que inclui outras obras. Assim, existe o Yì Jing (I Ching), e o livro “Yì Jing (I Ching)”. O livro faz parte do vasto conhecimento do Yì Jing (I Ching).

Existem vários métodos de consulta. O mais tradicional é através de ferramentas como varetas de milefólio ou moedas. Nas tradições orientais, os ensinamentos escritos deixados pelos mestres normalmente não revelam toda a sabedoria. Há muitas “chaves” para uma compreensão completa que só são passadas de mestre para discípulo segundo a tradição oral.

 

in taodoiching (antigo site de), Oscar Maron Filho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s