Sobre a dinâmica de transformação da questão-objeto da consulta oracular

A Tradição do Yi Jing Flor de Ameixeira (Mei Hua Yi Shu) é originada de um sistema de Yi Jing taoísta chamado “Shang Tian Yi Xue”, “O Estilo do Yi Jing do Céu Anterior”.

Esse método, desenvolvido por Shao Yong (1011-1077), filósofo, cosmologista, poeta, alquimista e um dos maiores mestres de Yi Jing é baseado no conhecimento da numerologia, dos símbolos e dados astrológicos do Yi Jing que posteriormente deram origem aos textos clássicos do livro.

Como resposta à consulta oracular pelo método da Flor de Ameixeira obtemos três hexagramas para análise, sendo que cada um deles representa, respectivamente:

  • Hexagrama principal – a questão-objeto da consulta oracular;
  • Hexagrama nuclear – síntese interior do hexagrama principal, é constituído pelas linhas 234 e 345 do hexagrama principal e refere-se à dinâmica interna de transformação contida na questão oracular;
  • Hexagrama modificado – derivado da transformação do hexagrama principal a partir da sua linha mutante, apresenta a tendência do desenvolvimento da questão, a sua perspectiva futura.

Estudar o hexagrama nuclear é debruçar-se sobre a dinâmica interna de transformação da questão oracular que, em si, é o próprio estudo da mutação.

Na figura acima o anel externo apresenta os hexagramas na Sequência do Céu Anterior de Fu Xi, utilizada por Shao Yong, que seguem uma ordem numérica de 0 a 63 e descrevem a forma de um S:

  • Os primeiros 32 hexagramas, de 0 a 31, todos com a primeira linha maleável (Yin), são ordenados no sentido anti-horário, do nadir para o zênite;
  • Os restantes hexagramas, de 32 a 63, todos com a primeira linha firme (Yang) são ordenados no sentido horário, novamente a partir do nadir e até ao zênite;
  • Esta sequência evolui circularmente pelos 64 símbolos, retornando do hexagrama 63 ao hexagrama 0, formando a figura de um oito (símbolo do infinito).

O anel central apresenta os hexagramas nucleares dos hexagramas do anel externo (Fu Xi). É de salientar que cada um dos 16 hexagramas nucleares possíveis são compostos a partir de 4 hexagramas “originais”. A disposição dos hexagramas nucleares se apresenta segundo dois eixos:

  • Um eixo vertical que distribui os hexagramas nucleares de forma simétrica e em ordem crescente do nadir para o zênite;
  • Um eixo horizontal que distribui os hexagramas nucleares da parte superior com a primeira linha firme (Yang), e os da parte inferior com a primeira linha maleável (Yin).

O anel interno de hexagramas apresenta os 4 nucleares dos hexagramas nucleares do anel anterior: 0 – Abrangente, 21 – Antes da Conclusão, 42 – Alcance da Conclusão e 63 – Criativo. Destes, o Abrangente (0) e o Criativo (63) são seus próprios nucleares sucessivos, sempre, e Antes da Conclusão (21) e Alcance da Conclusão (42) sempre se alternam como nucleares um do outro.

De forma semelhante ao recurso do estudo dos Quatro Caminhos em uma consulta oracular, o estudo dos quatro hexagramas “originais” cujos núcleos são comuns podem fornecer insights exclarecedores em uma consulta oracular mais aprofundada.

Maria João Bastos e Márcia Studart [1]

“O Yi Jing (I Ching) é a ‘Arte do Caminho’ e o principal no Caminho do Yi Jing (I Ching) é saber conjugar a inteligência individual com a inteligência das mutações.”  

Oscar Maron Filho


[1] Este post foi co-elaborado por Maria João Bastos, em Lisboa, Portugal (colaboradora deste blog), e Márcia Studart, em Paraty, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Márcia Studart é consultora de I Ching e pode ser contatada através do WhatsApp: 055 24 992313561.